blábláblá e mixtape rápida pra academia

23fev12

Talvez eu seja uma das pessoas mais sedentárias que eu já conheci. Depois de uma infância cheia de aulas de dança, uma adolescência com caminhadas diárias pra escola, eu me acomodei numa vida em que ir até o ponto do fretado e  fazer aquele percurso cptm-USP era o máximo de exercícios feitos diariamente. Somando isso à displicência postural e pré-disposição genética, acabei num consultório de ortopedista com algumas radiografias e um “vai fazer exercícios, mulher” do médico.

Fui parar em uma academia. E minha matrícula durou apenas 15 dias. O que não significa que eu tenha ido 15 dias naquele lugar.

Minha primeira aparição na casa de torturas foi para uma aula de pilates. O ortopedista tinha indicado pilates, achei bacana ir. Mas pilates é coisa séria (como diria a mãe do namorado [1]: “muito cuidado, faça com um fisioterapeuta”) e aquela aula com uma professora de educação física acabou em dor, dor e mais dor. Não conseguia fazer metade das coisas que mandavam sem soltar gritinhos de dor. Aí a mulher vinha me ajudar e puxava a minha perna daquele jeito super delicado que fazia eu ter vontade de pular no pescoço e arrancar a cabeça dela.

Minha segunda aparição foi pra musculação. Eu ia conhecer a série que o moço não confiável [2] achou que seria a melhor pra mim. Na avaliação deixei duas coisas muito claras: detesto exercícios e morro de dor nas costas (talvez eu devia ter lembrado que quando fazem com que eu sinta dor eu fico violenta). Minha série era bacana, até chegar aquele negócio horroroso de ter que empurrar um placa ligada nuns pesos com a perna. EU NÃO CONSEGUIA. E não adiantou eu dizer que não era por causa dos pesos, era por causa da dor. O moço deixou o mais leve possível e me mandou fazer que era normal doer. Fiz com uma perna só. Saí do aparelho no maior mau-humor. Até  a hora da esteira olhando pra TV pra ajudar o ex casinho que queria fingir que não me via, a série tinha se tornado uma chatice sem fim, e dolorida.

Minha terceira aparição foi pra cancelar a matrícula. [3]

E todo esse meu falatório serviu para:
1) me deixar tagarelar
2) contar que música de academia é uma desgraça. uma DESGRAÇA. Em algum momento desses dias eu tive contato com um sertanejo seguido de uma música que, pelo que lembro, era o máximo por estar na trilha sonora de O Beijo do Vampiro.
Acredito que apenas dois tipos de pessoas podem frequentar esse lugar e suas aulas sem grandes danos: pessoas surdas e pessoas de mau gosto.

Conversando sobre isso, no plus, a Mahayana deu a idéia de uma mixtape para academia.
Minha primeira tentativa de melhorar o som num ambiente desses não teve sucesso (pessoas de academia realmente gostam de Black Eyed Peas). Espero que a segunda ajude alguém de bom gosto a ter uma experiência menos triste.

A lista (é só uma lista por enquanto) segue com links pro youtube pq tá tarde e eu falei demais. Depois eu organizo tudo bonitinho e coloco o link aqui pra ser uma mixtape decente. :)

Beck – Sexx Laws


Na verdade, todo o Midnite Vultures combina com uma academia, ou com uma corrida.

Arctic Monkeys – I bet that you look good on the dancefloor


Tenho vontade de sair rodopiando dançando pulando sempre que escuto.

The Bravery – An Honest Mistake


Durante muito tempo essa foi a minha música de início de faxina.

Julian Casablancas – 11th dimension


Não sei se tem cara de academia de verdade. Mas imagina, no meio de um filme/novela/seriado, aquela cena com um monte de gente linda malhando sorridente e feliz. Quando eu imagino isso essa é a música que toca na minha cabeça.

Franz Ferdinand – No you girls


Já deu pra perceber que meu único critério é: “me dá vontade de dançar”?

Ok go – Here it goes again


me deixem ser previsível e colocar vídeo com esteiras

Mystery Jets – Young Love


é menos dançante, é menos animada, mas eu gosto tanto que não ia deixar de fora.

Backstreet Boys – Get Down


vejo perfeitamente isso sendo tocado em uma academia sem nenhum problema.

Super Furry Animals – God! Show me Magic


eu nunca sei onde fica a exclamação nessa música

Ben Lee – What’s so bad (about feeling good?)


acho simpática demais.

Delays – Valentine


eu gosto mesmo é do vocal da banda.

N Sync – Bye Bye Bye


apenas atendendo um pedido, eu não posso gostar deles já que gosto de BSB.

Pete Yorn & Scarlett Johanson – Relator


Scarlett tem uma voz horrível, mas com Pete Yorn do lado até passa…

E nem sei quantas músicas tem aí nem quão longo tá isso, então tá bom.

agradecimentos especiais ao Mário, o artista responsável pelas capas.

[1] não consigo usar a palavra sogra simplesmente porque ela é muito feia.

[2] não confio quando o diâmetro do braço é maior que o dobro da cabeça

[3] mudei de médico e ele mandou parar com a academia até ter resultado de outros exames e decidir o que seria meu tratamento.

Anúncios


4 Responses to “blábláblá e mixtape rápida pra academia”

  1. 1 Namorado supracitado

    Música de academia serve como música de caminhada? :)

  2. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA GENTE BACKSTREET BOYS MELHOR MUSICA NA BOA. (:

    E eu gosto de BSB e de NSync, como pode isso?

    Sério, quero a playlist downloadable disso pra poder colocar no iPod e ver se assim eu arrumo um motivo bom pra ir pra academia (:

  3. E esse clipe de Get Down, eu não sei descrever exatamente como é a minha vergonha quando eu assisto isso, mas é bastante grande, pode ter certeza disso. O ~cenário~, os cabelos, as roupas, AS COREOGRAFIAS.

  4. 4 marina

    eu sinto esse vergonha em praticamente quase tudo que dá pra ver dele.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: